Por que escolher a gente? #VemparaEstácio

Laboratórios

Laboratórios equipados com a última tecnologia específica para seu curso.

Salas de Aula

Salas de aula pensadas no seu conforto, com climatização e equipamentos multimídia.

Intercâmbio Exclusivos

No intercâmbio da Estácio, você estuda em universidades reconhecidas no mundo todo! 

estresse

ESTRESSE DURANTE O PROCESSO DE GRADUAÇÃO

Cursar o Ensino Superior é o sonho de muitos. Em busca de crescimento pessoal e profissional, ingressam nas mais diversas instituições e iniciam o processo de graduação no seu curso de escolha. 

Para muitos, um sonho que pode se tornar um pesadelo, considerando que o desenvolvimento dos estudos, seguido de enormes demandas de matérias e leituras pode causar um grande estresse, fazendo até com que haja desistência no meio do caminho. 

Os desafios impostos pelas Universidades são muito rígidos, e há quem diga que para cursar o ensino superior é necessário não ter outra atividade cotidiana para obter os resultados positivos dentro da faculdade. 

Pensando nestes aspectos, podemos obter algumas práticas para amenizar esta situação de estresse, obtendo meios para que o estudo seja para abrir um leque de conhecimento e personalidade intelectual sem prejudicar a saúde. 

HUMANO OPERACIONAL 

Para ter sobre seu controle, os estudos e sua saúde, é importantíssimo entender que você não é uma máquina. O ser humano possui diversas necessidades que não precisam ser citadas, ao passo de que muitas universidades parecem não entender ou “viram a cara” para este fato, sobrecarregando ao máximo cada aluno.

RÉGUA ÚNICA

Um fato a ser observado e estudado por campos de pesquisas: o termo “régua única”. Isto significa que as universidades procuram desafiar os alunos com sobrecarga, dispensando cálculos da vida fora do ambiente acadêmico. 

Assim, não procuram compreender a alta demanda para pouco tempo dentro das atividades, medindo o progresso do aluno como se cada um tivesse a mesma capacidade de desenvolvimento intelectual ou a mesma carga rotineira, como o trabalho, por exemplo. 

Dispensam a possibilidade e flexibilização de horários de cada aluno, solicitando grandes trabalhos em pouco tempo. Se o resultado do trabalho for negativo, não há questionamentos quanto o motivo de não ter sido tão bem elaborado, apenas deduzindo que tenha sido falta de empenho. 

Procurando avaliar esta situação, uma pesquisa do Hospital Universitário (HU) da USP demonstrou a grande carga de estresse dos universitários. Ao estudar e questionar 102 alunos da instituição, apenas um demonstrou não sofrer de estresse no meio acadêmico. 

“É preocupante que somente um dos pesquisados não tenha apresentado nenhuma forma de estresse”, disse Felipe Moretti, autor da pesquisa. “Fomos atrás de mais membros para a pesquisa e o resultado foi ainda mais alarmante. 

Cerca de 90% do grupo sofria de algum tipo de estresse que pudesse ser perigoso à saúde” declarou. Esta pesquisa está abertamente discutida no site do jornal da USP.

DICA: Faça sua graduação em Pedagogia com 50% de desconto na Estácio: https://matriculas.estacio.br.

ATITUDES AMENIZADORAS

Podemos listar algumas atitudes e dicas para que o estresse seja amenizado. Embora muitos universitários descartam estas atitudes, elas são comprovadamente estimuladoras de moléculas cerebrais capazes de produzir agentes diminuidores de riscos à saúde mental. 

estresse

Praticar esportes/exercícios físicos

A primeira vista, para um leigo praticar esportes e exercícios físicos não condizem em nada com a diminuição do estresse. Porém, é comprovado cientificamente que sim, exercícios estão ligados diretamente à saúde mental. Prática de esportes e movimento constante dos músculos corporais estimulam a redução dos níveis de hormônios relacionados ao estresse, como, por exemplo, a adrenalina, cortisol e noradrenalina. Além disso, estimula a produção de endorfina, hormônio responsável pelo bem-estar e tranquilidade. Sendo assim, exercícios físicos são ótimos aliados aos universitários. 

Dinâmica de tempo

Se você consegue compreender que não é uma máquina, você automaticamente deduz que não pode dedicar todo o seu tempo aos estudos. Atividades de lazer são de vital importância para o melhor desempenho na vida acadêmica. Procure amigos, divirta-se da sua forma, pratique seus hobbies preferidos, mas sem esquecer de estabelecer limites para ambas as situações: limite-se a estudar aquilo que você tenha capacidade, que não vá atingir sua saúde mental e limite-se a divertir-se sem comprometer os estudos. Suas prioridades caracterizam o seu sucesso e tudo que é feito com moderação gera resultados positivos. 

Locais

Existem ligações cerebrais/psicológicas ao um estado, odor, lugar ou momento. Se você costuma estudar num mesmo local (fora da classe, é claro), procure um lugar diferente. 

Este lugar pode ser dentro da sua casa, mudando de cômodo ou até mesmo ao ar livre. O cérebro liga automaticamente o fato de você ter passado várias situações de estresse num lugar à atividade que você tem que exercer. 

Então, tire um tempo para si próprio, use técnicas de respiração para que você não seja “engolido” pelos livros e matérias. Sendo assim, priorize seus momentos de calmaria, evitando entrar em conflito direto com aquilo que lhe serve de suprimento intelectual. 

Sua vida profissional e seu futuro está nas mãos das Universidades e por mais que as mesmas tenham poucas ofertas de dinamismo, adapte-se a esta rotina sem esquecer da sua saúde. Sua prioridade é a saúde, então diversifique suas demandas, organizando a partir de agendas, anotações e horários. Operar sem cuidar da sua saúde irá trazer ansiedade, angústia, estresse e principalmente frustrações.